Tecnologia do bem

A tecnologia do bem ajuda a melhorar a qualidade de vida de quem mais de 50 anos.

Um dos vetores do projeto ViverAgora é discutir como e porque a tecnologia e a ciência podem ajudar na qualidade de vida do ser humano, nos vários estágios da vida, mas em especial a partir dos 50 anos.

É bem verdade que está em curso também uma forte discussão sobre os impactos da interação homem/máquina. Uma corrente defende que a velocidade dessa interação está excessivamente alta e corremos o risco de perder o controle do processo e, eventualmente, exacerbar no uso da tecnologia. Outra corrente defende que esse processo é irreversível e que o desenvolvimento tecnológico ocorre para o bem da humanidade.

Precisamos ficar atento a esse debate, pois tanto a rejeição ostensiva quanto a aceitação unilateral pode causar danos. Entretanto, sou otimista e tenho a convicção de que prevalecerá o bom senso e saberemos tirar o melhor proveito dos avanços científicos e tecnológicos.

Tempos atrás publiquei um artigo falando de um experimento liderado pelos pesquisadores Fábio Ota e Carla Oda, que tinha por objetivo ensinar pessoas com mais de 60 anos a construir jogos digitais. Isso mesmo: construir um jogo digital! O estudo colheu resultados amplamente positivos.  Recebeu apoio da FAPESP e parte para um segundo estágio, que é o da construção de uma plataforma  para abrigar diversos jogos, cuja finalidade é também divertir, mas acima de tudo estimular processos mentais, raciocínio rápido e cognição.

O primeiro experimento comprovou um aspecto importante: a prática do videogame e os estímulos cerebrais provocados pelo jogo contribuem para avaliação da demência e do mal de Alzheimer. Um experimento internacional, liderado pela Deutsche Telekom, pelo  Alzheimer’s Research Instituto (Inglaterra) e por pesquisadores de duas universidades inglesas, chegou a mesma conclusão, convertendo o jogo “Sea Hero Quest” para realidade virtual (http://www.alzheimersresearchuk.org).

O jogo tem versão em português e pode ser acessado nesse link: http://www.seaheroquest.com/pt. Acho que este é um bom exemplo de como a tecnologia do bem pode interagir positivamente com o ser humano. Um processo que está em curso e que anuncia inovações exponenciais para o futuro breve. Vamos ficar atentos.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *