Poema Meu

Festas memoráveis, amizades eternas,

Filhos saudáveis, juventude

Entusiasmo e verdade

 

Tudo isso eu dei

Mas guardei minha essência

E foi esta a salvação quando me deparei com a realidade.

 

Casas grandes, decoradas com capricho,

Cachorros, coelhos, pintinhos, papagaio

Árvores de Natal coloridas, banhos de piscina,

Redes, pomar, quadros e sonhos

A povoar minha mocidade!

 

Meus ideais, a vontade de mudar o mundo,

Meu sono, minha alegria,

A fantasia de um amor eterno

O ideal da unida família.

 

Mesa farta, comida saudável, casa cheia noite e dia!

Os brinquedos na garagem:

bicicletas, triciclos, pernas de pau, legos, patins

E entre rosas, buganvílias e afazeres, esqueci de mim.

 

Tudo isso eu dei,

Mas guardei na boca um gosto amargo, de coisa que não cabia

 

Discussões infinitas sobre os rumos do país,

Sobre os destinos do povo

Denúncias de mazelas, perseguições, política

Viagens, restaurantes, reportagens,

Arrumadeira, cozinheira, carro, motorista.

Muita gente em volta.

 

Foram anos felizes infelizes.

Hoje sou velha. Casei de novo. Continuo a mesma, tenho muita paciência!

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *