Peça retrata época em que não se envelhece

Drama familiar expõe nossa dificuldade de lidar com a finitude humana

“Elefante” mostra a história de uma família que vive em uma época em que ninguém mais envelhece, em que não existe morte por causas naturais. Isso ocorre porque todos tomam uma pílula a partir dos 25 anos que previne o envelhecimento e mantém a saúde plena.

O espetáculo reflete sobre a dificuldade da humanidade em se relacionar com a própria finitude, a partir de um drama familiar em que Francisco, fotógrafo e filho único, conhece pessoas que envelheceram.

A peça tem como referencial “As intermitências da morte” de José Saramago, “A máquina de fazer espanhóis” de Valter Hugo Mãe e o filme “Balada de Narayama” de Anita Kurosawa, com texto de Walter Daguerre e direção de Igor Angelkorte.

No palco, os atores Fernando Bohrer, Chandelly Braz, Igor Angelkorte, Lívia Paiva, Renato Livera e Samuel Toledo.

Serviço
“Elefante”
Probástica Companhia de Teatro
Local: Teatro Poeira
Endereço: R. São João Batista, 104 – Botafogo – Rio de Janeiro – RJ
Data: até 30 de abril
Horários: quinta a sábado às 21h, domingo às 19h.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.