O lenço e A blusinha de cambraia

O LENÇO

Ele vem das entranhas da Terra

Ondula sobre o móvel, como a bandeira no mastro.

Seus bordados de pedra, Suavidade das formas

Contrastam com a frieza do toque.

Renda enclausurada no barro cozido,

Você fala do ontem para o hoje e o amanhã.

Sua falta de utilidade acentua sua beleza.

A ideia de juntar a renda, efêmera, ao barro perene

Forjado pelo fogo

Você embeleza minha vida,

Concebido por uma amiga querida

Quero guarda-lo para sempre

Como toda amizade

 

A BLUSINHA DE CAMBRAIA

Sopro de neve quente

Luz entrando pelo vitral na catedral escura

Joaninha sobre a folha

Pegadas na areia deserta

Sons de sinos pequeninos

Mingau de farinha láctea

Móveis pé palito

Tias solteironas

Macarrão de avó

Taças azuis transparentes

Chevrolet Rabo de Peixe

As mulheres na cozinha

Os homens jogando Bisca

Gritos, risos, casa cheia

Porão, sótão, batizado

Sermão, padre, igreja

Capricho de bordado

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *