Gerontecnologia

Gerontecnologia

É grande a quantidade e a variedade de pesquisas para melhorar a qualidade de vida do idoso.

Não é novidade pra ninguém que a ciência e a tecnologia estão provocando fortes impactos no conceito tradicional de longevidade, mas o que talvez pouca gente saiba é que já tem muita gente envolvida no fortalecimento de uma nova área de conhecimento interdisciplinar: a gerontecnologia. E o mais bacana é que já existe um núcleo bastante ativo em São Paulo, centrado no Instituto de Estudos Avançados da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, vinculada a Universidade de São Paulo.

Não por acaso, em novembro de 2017, aconteceu em Ribeirão o II Congresso Brasileiro de Gerontecnologia, que reuniu centenas de especialistas do Brasil e alguns do exterior, que foram lá expor o resultado de suas pesquisas. Temas como empreendedorismo sênior, inclusão, digital, robótica, jogos eletrônicos e até mesmo design de interfaces para usuários idosos integraram a pauta do evento, tanto na forma de trabalhos apresentados como de minicursos abertos ao público presente. Trata-se de uma iniciativa relevante que merece nosso aplauso e atenção. Todos os conteúdos expostos estão liberados para acesso público através do site http://www.cbgerontec.com.br/. Você vai se surpreender com a quantidade e a variedade de pesquisas que estão em curso visando à qualidade de vida do idoso no Brasil e no exterior. O evento tem estreita conexão com as ações da International Society of Gerontechnology  (http://www.gerontechnology.info/index.html), que tem a Dra. Carla da Silva Santana, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto como integrante do board internacional.

Se você, assim como eu, é também apaixonado pelo tema, então prepare o passaporte e as malas para a próxima Conferência Mundial de Gerontecnologia, que vai acontecer em St. Petersburgo, na Flórida, entre os dias 7 e 11 de maio. O evento se destina a profissionais que têm relação direta ou indireta com produtos e serviços focados nas tecnologias de aprimoramento da saúde, da capacidade funcional e da qualidade de vida da população 60+. O tema central do evento é bastante sugestivo: “Evolving Designs for our Future Selves”.  What will it cover? Precisa traduzir?

PS. Agradeço a Profa. Dra. Flamínia Manzano Moreira Lodovici da PUC/SP, que integrou minha banca de qualificação de mestrado, por me apresentar o conceito e essa importante fonte de referencia.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *