Gente que inspira: William Dozza

Gente que inspira: William Dozza

“Mesmo deficiente, quero trabalhar minha vida toda”, é seu pensamento de vida.

2002. Esse foi ano que mudou a vida do paulistano William Dozza. Médico há 33 anos, ele sofreu um aneurisma com rompimento da aorta e ficou com várias sequelas, entre elas a paraplegia. Mas, essa não é uma história triste, e sim de superação, desde o primeiro momento de consciência.

“Fiquei em coma cinco dias. Quando eu acordei, o meu pensamento era eu tenho que voltar antes de completar os 15 dias pra não entrar no INSS. Achava que ia recuperar nesse tempo a ponto de voltar a trabalhar”, lembra William.

Além da paraplegia, o médico sofreu com sequelas no pulmão, no aparelho digestivo e vieram outras cirurgias, mas a determinação em retomar a carreira sempre esteve ali. Como médico, ele sabia que teria um longo caminho para a recuperação e o fato de ter superado muitas internações hospitalares só fez aumentar sua confiança.

Após cada alta do hospital uma nova rotina começava. Na primeira vez, enfermeiros foram contratados, mas não com o pensamento de que isso faria parte de sua vida por longo tempo. “Eu falava para os dois enfermeiros: olha, não faça nenhum projeto com esse dinheiro que você tá ganhando aqui, porque ele é por um tempo bem curto”, lembra Dozza bem humorado.

Nove meses depois, William já estava recuperado e voltou a trabalhar na Alstom, mesma empresa que estava antes do que aconteceu. Ele conta que diversas adaptações tiveram de ser feitas no local de trabalho e que a empresa colaborou em todos os sentidos.

Hoje aos 59 anos, Willian é gerente de saúde da Bunge. Casado há 30 anos, pai de dois filhos e avô de dois meninos, ele contou com apoio de toda a família para enfrentar os preconceitos e sempre buscar novas oportunidades em sua vida profissional.

Ele não pensa em parar de trabalhar tão cedo. “Acho que está  mudando um pouco essa questão da idade. Com o aumento da longevidade, eu, mesmo deficiente, espero trabalhar minha vida toda”, responde o médico quanto questionado sobre sua idade.

Dozza enxerga a população madura hoje mais ativa e se inclui nesse grupo. “Parece que a minha idade cronológica não está batendo com a minha idade mental, eu me vejo mais novo que isso”.

Willian Dozza é um grande exemplo do #ViverAgora.

2 respostas
  1. Pinha says:

    Parabéns Dr William
    No início do cristianismo, São Jerônimo dizia:
    O homem com saúde que não trabalha, não merece comer.
    Parabéns pelo seu exemplo.
    Muita saúde para o senhor.

    Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *