Está mais difícil se endividar com o cartão de crédito?

Veja os cuidados necessários mesmo com as mudanças no crédito rotativo

Em abril deste ano, mudaram as regras do rotativo do cartão de crédito, fazendo com que os bancos tenham que oferecer soluções de parcelamento com juros mais baratos para as dívidas do cartão.

Mas esta alteração por si só não impede o endividamento. Se você não tomar cuidado para evitar gastar mais do que pode, vai acabar com dívidas mesmo com os juros mais baixos.

Por isso, o consultor financeiro José Vignoli separou algumas dicas para você aproveitar ao máximo seu cartão de crédito sem perder o controle de seus gastos!

“O cartão de crédito é um facilitador e não uma forma de ‘comprar o que se quer’”, destaca Vignoli. Por isso ponha suas contas na ponta do lápis e não perca as parcelas de vista. “Muita gente nem dá bola para a fatura, outros dizem ‘conferir’, mas conferir não é ‘analisar’ e ver para onde está indo seu dinheiro”, explica.

Outra dica importante é: você precisa de mais de um cartão de crédito? E mais: precisa de um cartão tão amplo? “O cartão tem que se adequar ao seu nível econômico, suprir as suas necessidades de compra e facilitar a vida. As pessoas gostam de ter um cartão ‘tcham’ quando isso é absolutamente dispensável. Um cartão que te faz sentir mais importante também pode contribuir para você fazer compras fora da sua realidade e aí o endividamento é certo”, diz o consultor financeiro.

E se você simplesmente não consegue controlar os gatos no cartão? “Tente usar dinheiro por um tempo e veja se consegue sentir que dinheiro tem fim”, aconselha Vignoli.

Ao final de maio deste ano, foi divulgada a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), que mostrou que naquele mês o percentual de famílias brasileiras endividadas foi de 57,6%, 1,1 ponto abaixo do percentual de maio do ano passado.

Mas o cartão de crédito continua o grande vilão: é a principal fonte de endividamento, abrangendo 77% das famílias que declararam ter dívidas.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *