Cientistas anunciam avanço contra o envelhecimento Viver Agora

Cientistas anunciam avanço contra o envelhecimento

Pesquisa australiana aponta reparação de DNA danificado.

Pesquisadores da University of New South Wales (UNSW), na Austrália, fizeram uma descoberta que poderia levar a uma droga revolucionária que reverte o envelhecimento, melhora a reparação do DNA e poderia até mesmo ajudar a NASA a mandar seus astronautas para Marte.

Em um artigo publicado na revista Science, a equipe identifica um passo crítico no processo molecular que permite que as células reparem o DNA danificado.

Suas experiências em camundongos sugerem que um tratamento é possível para danos ao DNA causados pelo envelhecimento e radiação. É tão promissor que atraiu a atenção da NASA, que acredita que o tratamento pode ajudar a sua missão em Marte.

Enquanto nossas células têm uma capacidade inata para reparar danos ao DNA – o que acontece toda vez que saímos ao sol, por exemplo – a sua capacidade de fazer isso diminui à medida que envelhecemos.

Os cientistas identificaram que o metabolito NAD+, que está naturalmente presente em todas as células do nosso corpo, tem um papel fundamental como regulador nas interações proteína-proteína que controlam o reparo do DNA.

O tratamento de camundongos com um precursor NAD+, ou “reforço”, chamado NMN, melhorou a capacidade de suas células para reparar danos no DNA causados pela exposição à radiação ou idade avançada.

“As células dos ratos antigos eram indistinguíveis dos ratos jovens, após apenas uma semana de tratamento”, disse o autor principal, o professor David Sinclair da Escola de Ciências Médicas da UNSW e da Harvard Medical School of Boston.

Os ensaios humanos de terapia com NMN começarão dentro de seis meses.

“Este é o mais próximo que estamos de uma droga antienvelhecimento segura e eficaz, que talvez possa estar no mercado em apenas três a cinco anos, se os testes forem bem”, diz Sinclair, que mantém um laboratório na UNSW, em Sydney.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *